História de Ribeirão

por Interlegis — última modificação 10/04/2017 12h54
História de Ribeirão, Estado de Pernambuco.

Ribeirão originou-se em decorrência da existência do Engenho Ribeirão (depois Usina Pinto e, depois, Usina Ribeirão.

O topônimo Ribeirão é originado de um ribeiro afluente do Rio Amaraji que banha a cidade.

A cidade de Ribeirão fazia parte da cidade vizinha Gameleira, e com passar do tempo teve sua independência conquistada, hoje a cidade de Ribeirão tem 87 anos de existência. Os habitantes se chamam ribeirãoense, o município se estende por 287,9 km² e contava com 44.445 habitantes no último censo de 2010. A densidade demográfica é de 154,4 habitantes por km² no território do município. Localizada próximo a cidade de Gameleira, Amaraji e Primavera, a 30 km da cidade de Palmares, mais desenvolvida aos arredores, e 90 km da capital Recife.

A cidade é conhecida como "Princesa dos canaviais", segundos historiadores e pesquisadores este título está relacionado ao seguinte acontecimento, no início do século XVI, os portugueses traziam negros africanos de suas colônias para utilizar sua mão de obra escrava nos engenhos de açúcar, os negros eram vendidos como mercadorias qualquer entre os senhores e viviam em condições piores do que animais. Na região norte de Ribeirão, na época ainda não era conhecida por esse nome, chama-se apenas terra da cana, habitava o senhor de engenho mais rico de toda região da mata sul de Pernambuco, uma das suas escravas acabou engravidando de outro escravo, Sua senhora desatava crianças é como punição de seu ato, planejava cortar sua cabeça na frente de outros escravos para conscientizar-los acerca dos seus comportamentos pecaminosos, apreensiva a escrava conseguiu a ajuda de outros escravos para fugir, correu para dentro os canaviais e lá entrou em trabalho de parto e em seguida faleceu. A criança foi encontrada ao lado do corpo da sua mãe por capatazes da fazenda entre os canaviais chorando, dizem que seus delicadamente olhos azuis comoveram a alma dos capataz e deram o nome de Princesa dos Canaviais, por ser muito bela e por nascer em um berço esplendido, o canavial. Poucos conhecem esta história que aconteceu no solo de Ribeirão, o lugar onde nasceu a princesa dos canaviais. Mais tarde esse titulo de Princesa dos canaviais foi denominado de slogan da cidade.

Ribeirão Pernambuco tem um grande desenvolvimento na produção de cana de açúcar, e todo mês quando termina o tempo de moagem da cana tem uma comemoração para a cidade, a famosa festa da cana no mês de janeiro.

Carnaval: Ao longo dos anos vem mantendo uma tradição, com as Cambindas de Ribeirão um bloco carnavalesco que vem nas ruas lembrando o tempo da escravidão que todos os integrantes se pintam de preto com direito a rei e a rainha e saim nas ruas horando essa tradição que já dura mais de 40 anos.

Paróquia de Nossa Senhora Sant'Ana: Com o tombamento da Capela do Engenho de Ribeirão e para não ficar paralisados os oficios religiosos,foi improvisada uma capela em uma residência existente ao lado da Prefeitura (atual), alguns tempos depois, transferida para a praça Barão das Águas Clara, no local onde hoje funciona o Fórum, em quanto tudo isto acontecia Dona Fortunata Nicodemos, senhores Caetano Nicodemos e Alfredo Moreira saiam em comissão angariando fundos para a construção da Igreja. Feito o tombamento de Capela Ribeirão, fizeram a avaliação do terreno chegando a conclusão do seu valor de 200.000 (Duzentos mil reais), entretanto D.Fortunata Nicodemos em contato com a CIA Geral de Melhoramento de Pernambuco, então aconteceu a permuta daquele terreno por em outro local, e pelo mesmo preço. No dia 30 de Janeiro de 1923, foi realizada a permuta do terreno escolhido com uma área de 16 metros de frente e 40 metros de fundo na praça 14 de Julho, hoje 11 de Setembro, mas é bom deixar claro que só foi feita esta permuta graças a arte parlamentar e o prestigio de Dona Fortunata Nicodemos. Hoje são 64 Anos de Paroquia Sant' Ana que tornou-se a Padroeira da Cidade de Ribeirão.